segunda-feira, 9 de julho de 2012

Vaso de Alabastro

Faltavam poucos dias para a páscoa e Jerusalém fervilhava. O povo chegava de toda a parte para celebrar a grande festa. Na época de Jesus havia cerca de 50 mil habitantes em Jerusalém. Este número aumentava para cerca de 200 mil na época da páscoa. Jesus decidiu se afastar daquela confusão, e foi passar a noite em Betânia, cidade situada cerca de 3 km a leste de Jerusalém. Lá, Jesus visitou Simão, antes conhecido como “o leproso”, que o recebeu com prazer e lhe serviu uma boa refeição. Nesta época era comum as mesas serem baixas, pouco acima do chão. Por isso, as pessoas se sentavam no chão, e reclinavam-se à mesa. E lá estava Jesus, reclinado à mesa e cercado de amigos.
Marta servia a todos, enquanto seu irmão Lázaro estava sentado junto com seu amigo Jesus.  De repente, Maria, entrou no lugar onde Jesus estava. Ela se aproximou de Jesus carregando um vaso de alabastro contendo uma libra de nardo puro (Jo. 12:3) e quebrou o vaso, derramando o bálsamo sobre a cabeça Dele (Mc. 14:3). Ato tão inisperado que deixou a todos estasiados.

O perfume era tão intenso que encheu toda a casa (Jo. 12:3). O nardo era um bálsamo raro extraído de uma planta nas regiões do Himalaia (Índia), e sendo um produto importado de longa distância era um artigo caro e raro. A quantidade citada na Bíblia (“uma libra”) equivale a cerca de 326 gramas. Este bálsamo poderia ter sido vendido por 300 denários (Mc. 14:5). Naquela época, um trabalhador recebia um denário por um dia de trabalho. Assim, o nardo derramado por Maria valia praticamente o salário de um ano de trabalho. Com este ato, Maria estava declarando que Jesus é mais precioso do que o mais puro nardo. 

Mas o valor do vaso não era calculado simplesmente em dinheiro. Ele valia muito mais que simples denários.
O vaso de alabastro era uma variação do gesso, podia medir até 14 cm de altura, e era selado no gargalo, de forma que para tirar o perfume fosse preciso quebra-lo. As mulheres judias naquela época tinham a cultura de pendurar o pequeno vaso no pescoço como colar,e toda mulher judia tinha esse pequeno vaso.Na noite de núpcias ela quebrava este vaso e aspergia o nardo em seus lençóis. E aquele momento era muito especial para ela. Agora da pra imaginar o que significava e o preço que custava?

“Maria quebrou o vaso e derramou o nardo que era  para ser usado para o momento mais especial da sua vida, o seu casamento, preferindo aspergir sobre o corpo  de Cristo. Ungido o Senhor.” 

Essa reflexão nos leva a imaginarmos como o vaso de alabastro. Todos nós temos esse bálsamo dentro de nós. Somos o suave perfume de Cristo. 2 Co 2.15. Que precisa ser compartilhado sem reservas. Não podemos escondê-lo ou dedicá-lo a coisas vãs, ao invés de dedicá-lo a Deus.

Precisamos também deixar que o vaso seja quebrado, para que o bálsamo seja derramado. Só assim, todos sentirão o nosso suave perfume. 

Não devemos lamentar quando somos quebrados. Nem tão pouco pela quebra do velho vaso. Pois sendo Cristo o oleiro e as tribulações fogos que refinam o nosso caráter. É necessário passar por provações para entrarmos no reino dos céus (Atos 14:22)

Charles Haddon Spurgeon: disse que, "Ao nos esquivarmos de uma provação, estamos procurando evitar uma bênção."

E para encerrar reflitamos nas três lições dessa história:

1º  Ela ofereceu tudo e o melhor que  tinha.
Ela não foi buscar prosperidade, cura, fazer uma barganha com Jesus, ela estava ali para oferecer, ela levou o seu sacrifício. O que estamos levando para ser apresentado ao Senhor. “Para  haver o adorado tem que haver adorador”.
O que estamos oferecendo a  Deus  é o melhor?
Veja a resposta do rei Davi sobre esse quesito "Não oferecerei a Deus sacrifícios que não me custem nada" - 2Sm. 24:24 .

2º Para uma perfeita adoração é preciso quebrar o vaso.
O vaso de alabastro, assim como o nardo o perfume,tinha um altíssimo valor.
O simbolismo do vaso de alabastro aponta para a necessidade de quebrar o coração diante do Deus Vivo. Salmos 51.17b – “a um coração quebrantado e contrito não desprezarás.
“Mas à hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim O adorem. Deus é Espírito, e importa que os que O adoram, O adorem em espírito e verdade.” (Jo 4.23,24)
Adoração para o servo de Deus é um estilo de vida.
Tudo o que fazermos deve ser para glorificar a Deus. Tudo é tudo mesmo. O andar, o vestir, o comer, o falar, o pensar, o agir… Até a morte (João 21:19)
3º Nossa adoração não  é um desperdício
Muitas vezes somos criticados e até mal entendido por algumas ações que temos  e valorizamos na obra do Senhor.
Esta mulher ela foi criticada por sua ação...
Marcos 14.3-7 - Para que se fez este desperdício de ungüento? Porque podia vender-se por mais de trezentos dinheiros e dá-lo aos pobres. E bramavam contra ela. Jesus, porém, disse: Deixai-a, para que a molestais? Ela fez-me boa obra. Porque sempre tendes os pobres convosco e podeis fazer-lhes bem, quando quiserdes; mas a mim nem sempre me tendes”.

Nada que é gasto para o reino de Deus  é desperdício, Adorar a Deus nunca é desperdício. Seu louvor, seu sacrifício, seu tempo dedicado na obra nada é desperdício.

Dê o seu melhor pra Deus...
Clipe Vaso de Alabastro


Prestigie-nos com seu comentário

Obrigado por ter comentádo, jajá seu comentário será postado.

Comente usando sua conta no Facebook

 
 

J.E no Twitter

Mural de Recados

Amigos

Eles Curtem o J.E.